quarta-feira, 19 de julho de 2017

Almada | Autárquicas'2017: os panfletos do PSD

O PSD tem estado muito dinâmico e apostado em fazer uma campanha suficientemente forte para garantir um resultado eleitoral que lhe permita, pelo menos, assumir a posição de segunda maior força política no concelho.
 
O PSD entrou cedo, com propaganda de guerrilha sob a forma de cartazes, ainda em Maio, apresentou os candidatos aos órgãos autárquicos também em Maio, e tem estado nas ruas e presente noutros eventos públicos.
 
Se a CDU apostou na distribuição de panfletos nas caixas de correio das residências de algumas ruas de Almada, o PSD tem também distribuído panfletos à população. O contacto directo continua a ser um meio de excelência ao serviço dos partidos e o PSD Almada não o recusa, tendo já mais do que um modelo diferente de folheto distribuído à população.
 
Imagens fornecidas pelo candidato do PSD à JF Charneca-Sobreda
 
Um segundo folheto distribuído em Charneca-Sobreda
 
Várias coisas saltam à vista nos dois folhetos, a esmagadora maioria delas, a nosso ver, primam pela inteligência e pela forma como se pretende chegar às eficazmente às massas.
 
Pontos fortes:
  • A qualidade de impressão é muito boa, a cores e com um visual moderno.
  • Os panfletos são desdobráveis e impressos na frente e no verso.
  • Relativamente ao primeiro, há uma clara sofisticação face aos da CDU no sentido de não ter uma forma rectangular estática, antes querendo aparentar a forma dinâmica de um telemóvel, símbolo de modernidade.
  • Cada panfleto está personalizado para cada união de freguesias, não se limitando o PSD a imprimir massivamente um conjunto de textos abstractos e neutros do ponto de vista da freguesia.
  • A escolha e a combinação de cores está bem feita em qualquer um dos panfletos.
  • No primeiro panfleto, a ordem de visualização está muito bem conseguida: em primeiro lugar, surge um candidato facilmente identificável (quanto à foto, quanto ao nome e quanto ao lugar a que concorre), em segundo as medidas propostas e, finalmente, o partido pelo qual se candidata e a identificação das redes sociais onde a candidatura está presente.
  • Apesar das críticas ao lema escolhido para a candidatura do PSD à União das Freguesias de Charneca da Caparica e Sobreda, não deixa de ser coerente a insistência em fazer-se referência a esse lema e à etiqueta digital do mesmo.
  • Existe uma clara aposta nas plataformas digitais.
  • Discurso simples e objectivo.
  • Apresenta propostas concretas para a freguesia, podendo lançá-las, desde já, a discussão.
 
Pontos fracos:
  • Estratégia dedicada exclusivamente à realidade das freguesias. Em nenhum deles é feita uma referência aos candidatos aos órgãos municipais, sendo que todos estes meios de propaganda são uma excelente forma de tentar injectar os principais candidatos na mente do eleitorado. No caso concreto destes panfletos, acreditamos que existia espaço para projectar os candidatos à Câmara Municipal e à Assembleia Municipal, nem que fosse só pelas fotos e com referência aos nomes, já que, também eles, fazem parte do projecto para as freguesias.
  • O lema #ResolverACharnecaSobreda continua a ser um enigma que os panfletos não desvendam. Sabe-se o que o PSD propõe para esta união de freguesias, mas não se percebe exactamente o que é que necessita de ser resolvido.
  • Falta um endereço directo para a página de Facebook do PSD Almada e para a página da candidatura, um e-mail de contacto e uma maior exploração do endereço oficial na internet. Parece que a única forma de chegar à candidatura e ao PSD Almada é através de uma etiqueta digital. Isto cria dificuldades para quem não estiver familiarizado com o método.
  • O panfleto só chega ao eleitorado se o eleitorado se deslocar aos sítios onde estiver presente o PSD. É uma diferença significativa face ao da CDU, que se impõe, mesmo que a população o evite na rua.
 
Perante isto, os panfletos em apreço são de louvar por se traduzirem num meio bem conseguido de chegar ao eleitorado dando-lhe já muita matéria para reflectir ao mesmo tempo que marca a diferença face aos adversários. Não compreendo a aversão dos candidatos de todos os partidos, em Almada, para a exploração da plataforma Twitter e, eventualmente, também para o Whatsapp, lamentando-se a falta de uma estratégia que melhor consiga aproveitar as potencialidades daquela aplicação.

Sem comentários: