sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

A situação na Ucrânia e a ingerência externa

Pergunta que me assalta o pensamento: em que lugar vai Duarte Marques ser colocado na lista PSD/CDS para as próximas eleições europeias? Está a trabalhar bem para garantir o bilhete de emigração para Bruxelas.

Outra pergunta: quem é a Alemanha ou a Comissão Europeia para se ingerirem numa situação de política interna ucraniana e apoiarem os manifestantes do Presidente Yanukovych?

Terceira pergunta: quando é que alguém se digna a difundir o outro lado dos acontecimentos na Ucrânia, mais concretamente os bárbaros e gratuitos ataques de manifestantes contra elementos das forças de segurança que provocaram dezenas de feridos entre estes?

A estratégia já é mais do que conhecida e já percorreu mundo: presta-se apoio a meia dúzia de cabecilhas, incendeiam-se os ânimos e provocam-se e atacam-se as autoridades (contra todas as regras básicas de sociedade). No fim, dissemina-se apenas a parte dos acontecimentos que realmente interessam, escreve-se a história com os argumentos que convêm - mesmo apesar de algumas imagens televisivas mostrarem quem ataca quem - e faz-se crer que são apenas um grupo de manifestantes em busca de maior liberdade de expressão.

E assim se fazem cair governos.

Sem comentários: