terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Bashar al-Assad, o ditador bestial!


Ainda em Outubro tive oportunidade de apontar alguns cenários passíveis de se concretizarem, nomeadamente:
  • A redução de apoio militar dos EUA e dos parceiros ocidentais aos grupos rebeldes activos na Síria - sobretudo para poderem demarcar-se do jihadismo neste País -;
  • A aposta no apoio a Damasco para combater os islamistas, em eventuais sinergias entre Assad e os rebeldes moderados para prosseguirem este plano;
  • E ainda na integração dos opositores moderados na estrutura militar síria para poderem, juntos, combater os islamistas e, igualmente e muito importante,
  • Nos órgãos de poder político, de modo a garantir mais poder à oposição a Assad.

Ora bem, alguns destes cenários já se concretizaram, senão vejamos:

Há coisas do destino e o que está a acontecer é uma valente bofetada em todos aqueles que sempre acharam que Assada cairia, que os EUA jamais apoiariam Assad e também para aqueles que deviam hoje ser responsabilizados pela grave situação humanitária na Síria e instabilidade regional ao terem apoiado a rebelião contra Damasco.

Sem comentários: