quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Autárquicas'2013: um caso de polícia no CDS-PP Almada

É mais um caso que ensombra a campanha do CDS-PP em Almada. O Presidente da Juventude Popular local, Hugo Rufino Marques, demitiu-se na sequência de inúmeros incidentes registados na concelhia e na própria candidatura que fragilizam o trabalho no Município. Neste sentido, publicou ontem uma carta com os motivos que levaram à sua demissão.

Erros ortográficos à parte, que poderão compreender-se, parcialmente, pela emotividade natural com que se prepara uma comunicação desta natureza, parece que estamos perante situações denunciadas que justificarão a abertura de um inquérito contra dirigentes, membros e simpatizantes do CDS-PP Almada e que poderão levar, em último caso, se se derem como provados os factos denunciados, à impugnação das listas ou à perda de mandatos eventualmente conquistados no próximo domingo.

Com efeito, entre outras, são denunciadas situações como falsificação de assinaturas entregues em Tribunal para validação das listas candidatas. Não pretendendo fazer condenações precipitadamente, até porque ainda prevalece o princípio da presunção de inocência, as denúncias são tão claras e a exposição do denunciante é tal que não podemos negar a hipótese de as suspeitas serem minimamente credíveis - sendo ainda de sublinhar que o Presidente da JP Almada se deslocou a Tribunal para tentar confirmar a extensão de alegada ilegalidade -, sublinhando-se ainda dois indícios que parecem reforçar a verosimilhança da denúncia:
  • A resposta da concelhia, via Facebook, no mínimo comprometedora, limitando-se a redigir uma breve nota onde diz «Em momento adequado será dada resposta a, mais uma, tentativa oportunisticamente pensada e arquitectada, para destabilização e desacreditação do CDS-PP Almada fundada em mentiras, calúnias, manipulação e descontextualização da verdade» (sic). Se há tempo para esclarecer estes assuntos é agora e não depois dos efeitos que possíveis falsas suspeitas possam produzir em período eleitoral;
  • O facto de apenas ter divulgado alguns nomes candidatos aos órgãos municipais, podendo, eventualmente, estar aqui um caso de encobrimento de situações tratadas à margem da lei.

Seria muito importante que esta questão fosse esclarecida em Tribunal, devendo o Ministério Público abrir inquérito e esclarecer todas as dúvidas relativamente a uma situação que, a confirmar-se, é gravíssima e afecta seriamente a imagem do Partido e, indirectamente, do próprio Município.

Sem comentários: