sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Os novos outdoors do PS em Almada (Joaquim Barbosa)

A candidatura do PS aos órgãos municipais de Almada alteraram os outdoors iniciais. Agora, em vez da imagem única com o nome do candidato à Câmara Municipal, Joaquim Barbosa, vemos imagens variadas de apoiantes e candidatos pelo partido, indicando o nome e a actividade de cada um acompanhados de uma expressão específica que ilustra o que a candidatura pretende trazer para Almada. Deixo aqui alguns exemplos:

Ana Catarina Mendes, Deputada

Nuno Pinheiro, Historiador

Maria Assis, Assistente Social

Alberto Chaíça, Atleta

Jaime Rocha, Dirigente Associativo

João Couvaneiro, Professor do Ensino Superior

Em resumo, o objectivo com esta vaga de outdoors será transmitir a ideia de a campanha de Joaquim Barbosa ser inclusiva, ao integrar todo o tipo de sensibilidades - da Deputada ao Atleta, passando pelo Estudante e pelo Dirigente Associativo -, e propor uma agenda universal, ao cobrir as mais diversas áreas da sociedade.

Um dos pontos fortes desta nova vaga de cartazes passa pelo facto de as fotografias não terem sido trabalhadas nem assentarem numa cor de fundo, mantendo-se a naturalidade do motivo - aliás, coerente com a campanha prosseguida no Facebook com a publicação de inúmeras fotos do PS Almada em convívio, descontraídos e nas mais variadas situações que qualquer comum mortal vive (até os vemos em corridas de carrinhos-de-choque) -, e tendo como pano de fundo os locais onde cada um dos visados presta actividade - p.e.: a Deputada no Parlamento e a Assistente Social numa zona sub-urbana. Deste modo, é difícil que quem veja os cartazes não se consiga rever na pessoa que dá a cara.

No entanto, na minha opinião, um dos cartazes mais bem conseguidos desta segunda vaga de cartazes é o que inclui Francisca Parreira, actual Presidente da Junta de Freguesia da Trafaria, na rotunda da Av. Afonso de Albuquerque, mais concretamente na que liga S. Pedro da Trafaria a S. João da Caparica. A localização é perfeita, mais não seja porque se trata da zona de conforto de Francisca Parreira. O cartaz em si também está bem concebido, destacando-se um sorriso natural que cria empatia com o público. O mesmo elogio poderá ser feito ao cartaz com a médica e ex-Ministra da Saúde Ana Jorge, colocado mesmo à entrada para o Hospital Garcia de Orta.



Relativamente aos pontos fracos, estes cartazes apresentam algumas fragilidades. Desde logo, o tamanho da letra com o nome e a profissão de cada um é excessivamente reduzido. Em segundo lugar, a cor das letras. Não basta o tamanho ser mau e o contraste por vezes torna quase imperceptíveis o nome e a profissão. Ou já conhecemos as pessoas ou então é extremamente difícil identificar cada um. Os de Jaime Rocha e Alberto Chaíça são os piores. Há ainda que acrescentar o facto de não sabermos se são todos candidatos ou se são candidatos e/ou figurantes. No caso de Ana Jorge, quantas pessoas sabem que é mandatária e não candidata?

Por outro lado, o sítio de internet do PS Almada padece exactamente do mesmo mal e tem um extra: parece perdido de tão isolado que fica no meio da mensagem. O logótipo e a identificação do Partido também podiam estar maiores. Outro ponto negativo é a fotografia escolhida para apresentar um cartaz que represente todo o concelho. A fotografia escolhida foi a localizada infra, que parece ter sido escolhida sem qualquer critério, os modelos surgem numa pose à Ocean's Twelve ou cena inicial do Reservoir Dogs (Cães Danados), o candidato - que não se pode esquecer que é o cabeça-de-cartaz - aparece perdido de jornal na mão, duas candidatas (Maria Assis e Francisca Parreira) aparecem de óculos escuros - o ideal para não ser reconhecida - e de fundo ainda se destaca um sinal de estacionamento proibido!


Em suma, acredito que se tenha pretendido aproveitar uma fotografia onde os candidatos estejam em poses naturais, sem preparação, mas a escolha desta última imagem é péssima. Contudo, a ideia em si, nesta nova vaga de cartazes, parece-me muito feliz e tem tudo para ajudar a campanha de Joaquim Barbosa a chegar aos objectivos pretendidos. Muito boa iniciativa, sem dúvida.

* foram acrescentadas duas frases ao penúltimo parágrafo às 10h00 de 19 de Agosto de 2013.

3 comentários:

Anónimo disse...

Estes cartazes são uma autêntica aberração eleitoral. Como é que um partido que quer derrubar os comunistas pode utilizar o presente do indicativo em frases de outdoor?

Aliás os cartazes da CDU e do PS juntos ficam lindos, ou seja "Almada é Democracia " e CDU faz bem". Ou seja, parece que o PS está a afirmar que a CDU é democracia, desporto, luta e tudo mais.

Quanto muito poderiam utilizar o futuro como tempo verbal, sempre ficava melhor " Almada será democracia"

Outro ponto, é que estes cartazes sofrem do mesmo problema dos cartazes digitais do CDS. Não sabemos se as pessoas são candidatas ou simples apoiantes.

EM Almada é tudo tão básico e mal feito que até Sherlock Holmes diria : " Elementar, meu caro Watson"

Nem tudo Freud explica disse...

Não concordo com a crítica ao presente do indicativo por um motivo: quem o utiliza está a mostrar a sua visão do concelho, independentemente de se ser o que se verifica ou não. Imagine a situação da mulher mal tratada e humilhada pelo marido e em que um terceiro a conforta e lhe diz constantemente como ela é bela e merece melhor. Julgo que a situação é exactamente a mesma (e no presente do indicativo).

Já tendo a estar de acordo consigo em algo que deixei passar, mas que vou acrescentar de seguida e que é o facto de o PS não só identificar os nomes e as profissões das pessoas num formato de letra infeliz como não os identifica como candidatos.

Contudo, julgo que é diferente do caso do outdoor digital do CDS, uma vez que os deste partido nem identificam nome e profissão nem indicam se são ou não candidatos. Simplesmente aparece alguém a dar a cara sem se saber quem é ou o motivo de ali estar.

Anónimo disse...

Caro Freud,

Permita-me discordar, e dou como exemplo os cartazes "Almada é Democracia" e "Almada é apoiar as familias", No 2º outdoor, ao juntar o verbo de acção ao presente do indicativo do verbo ser , continua a dar a sua visão do concelho, mas ao mesmo tempo a fazer uma diferenciação da CDU. Imagine se o 1ª outdoor fosse "Almada é VIVER em Democracia" acho que tinha muito mais impacto. Para quando um cartaz com a seguinte frase "Almada é um estádio municipal com bancadas cobertas", Se não dizem o que as pessoas querem ouvir, sendo para mais situações exequiveis, como quer o PS ganhar as eleições???

Elementar meu caro Freud :)