quinta-feira, 15 de agosto de 2013

O provável outdoor do Bloco de Esquerda em Almada (Joana Mortágua)

O Bloco de Esquerda (BE) ainda não tem propaganda para as autárquicas nas ruas de Almada. Aliás, a 45 dias do acto eleitoral, a única propaganda do BE espalhada por Almada é esta:

Partindo do princípio que estamos perante contratos celebrados com as empresas publicitárias que afixam os cartazes do BE, e que este conteúdo tem ainda pouco tempo, é possível que o cartaz autárquico só surja no início de Setembro. No entanto, não deixa de ser estranho que, sendo já conhecida a candidata a Almada desde, pelo menos, 10 de Maio - data em que foi apresentada formalmente a candidatura -, e estando os principais candidatos com propaganda disponível há já várias semanas, a propaganda eleitoral do BE ignore o escrutínio que se aproxima - apesar de se dever frisar que a entourage de Joana Mortágua já esteja no terreno em contacto com os munícipes.

Apesar de o BE parecer desligado das autárquicas, o BE Almada já lançou na sua página de Facebook, para os seus «invejáveis» 194 seguidores, aquele que, em princípio, será o outdoor a afixar brevemente pelo partido, nomeadamente:


Partindo do princípio que será este o cartaz do Bloco para apresentar aos almadenses os cabeças-de-lista à Câmara Municipal e à Assembleia Municipal, Joana Mortágua e Carlos Guedes, respectivamente, podemos tecer algumas considerações sobre a propaganda:

Pontos fortes:
  • Apresenta os candidatos aos órgãos mais importantes do município (Câmara Municipal e Assembleia Municipal) em simultâneo, destacando-se dos restantes exactamente por não apresentar apenas um candidato - é muito positivo dar a conhecer aos eleitores os rostos das listas candidatas;
  • O rosto dos candidatos ocupa espaço suficiente para serem vistos e reconhecidos à distância;
  • A expressão dos candidatos parece demonstrar alguma receptividade e procura atrair a empatia do munícipe, sem sorrisos forçados e sem expressões sisudas;
  • O lema de campanha está muito bem conseguido, fazendo um trocadilho com o nome do partido e com Almada que, não só faz sentido, como ainda tenta transmitir a ideia de quantidade de elementos do partido empenhados no município;
  • O tom azul-esverdeado da barra inferior - desculpem, mas sou daqueles homens que não sabe os nomes científicos de cada tonalidade -, o que permite destacar qualquer palavra que se inscreva nela.

Pontos fracos:
  • Não há qualquer evolução criativa nos cartazes do bloco ao longo dos anos. O conceito é sempre o mesmo. E este outdoor é tão simples que chega a ser demasiado básico e insípido - há décadas que os partidos de esquerda insistem teimosamente em propaganda básica e limitada apesar de terem pessoal suficientemente criativo;
  • O branco como cor de fundo não atrai a atenção dos destinatários e pode passar despercebido porque dificilmente contrasta com a paisagem que serve de fundo ao cartaz;
  • A barra inferior numa aborrecida linha recta, parecendo quase uma solução de última hora para desenrascar um espaço para escrever os nomes dos candidatos;
  • Os nomes dos candidatos num tamanho de letra quase imperceptível - apesar de a cor dos caracteres ter sido bem escolhida - escusando-me de comentar o tamanho da letra dos órgãos a que se candidatam;
  • Que cores são aquelas forçada e inexplicavelmente colocadas no canto inferior direito?
  • Demasiado espaço vazio, o que fica ainda mais visível num fundo branco;
  • O logótipo do partido parece andar ali perdido no cartaz e em tamanho muito pequeno - falta ainda o nome do Partido;
  • Não tem um único meio de contacto físico ou virtual, nem indica onde podem ser visitados;
  • Não apresenta propostas - muito importante para os partidos que não estão no poder.

Apesar de tudo o que já foi dito, coloco ainda reservas à futura localização dos outdoors do BE. E coloco-as porque, desde logo, o BE recorre pouco a cartazes de grandes dimensões. Excepções à regra são a rotunda que liga a Av. 25 de Abril, em Almada, ao porto marítimo de Cacilhas ou a rotunda do Centro Sul. No mais, o BE recorre aos MUPI, uma solução mais económica tendo em conta a disponibilidade financeira do partido.

Finalmente, a localização dos cartazes nem sempre é a mais feliz. Se não estivermos atentos, quase à procura dos MUPI, raramente damos conta deles, quando o objectivo devia ser os cartazes mostrarem às pessoas que estão lá e têm uma mensagem a transmitir. Ao longo de toda a Av. 23 de Julho, que atravessa o Laranjeiro e a Cova da Piedade, estão lá 2 MUPI muito discretos, não obstante a sua dimensão. Já na Costa da Caparica, no cruzamento entre a Av. 1.º de Maio e a Av. Afonso de Albuquerque, encontra-se uma espécie de MUPI adaptado a outdoor improvisado, que é praticamente impossível estar mais escondido do que está actualmente, conforme se pode constatar em baixo. Quem repara nesta propaganda? Talvez este seja mais um caso de desperdício de recursos.

5 comentários:

Anónimo disse...

Um bom MUPI pode ser tão eficaz como um cartaz grande. Aliás, considero que os cartazes mais eficazes são os da CDU, onde estão as fotografias dos candidatos e a sua profissão. No caso do BE seria positivo informarem a população do Curricullum profissional dos candidatos, no caso de alguma vez terem trabalhado. Apesar de o partido estar em fase descendente ( é o que dá lideranças bicefalas!!!), penso que o BE pode conseguir uma boa votação devido ao voto de protesto.

Nem tudo Freud explica disse...

Reparei este fim-de-semana que o BE mantém os cartazes gigantes com a primeira imagem apresentada, mas tem um MUPI na rotunda que dá acesso ao Centro Sul e ao Estádio Municipal. A localização e o tamanho da propaganda, uma vez mais, dificultam a visualização por terceiros.
MUPI na estrada é muito complicado.

Anónimo disse...

Os cartazes não motivam ninguem a votar num determinado partido, podem servir para tornar os candidatos mais conhecidos, mas só isso.

Quanto ao BE está bem e recomenda-se, e quanto ao anónimo que quer saber as profissões dos candidatos do BE , isso é muito fácil basta pesquisar na net,mas nenhum vive da politica, nem tem como profissão ser presidente de Camara ou de Junta de Freguesia, os chamados dinossauros tão do agrado da CDU,

Anónimo disse...

Ainda a propósito das ditas redes sociais, dá-me vontade de rir fazer sondagens com os amigos, qualquer individuo com conhecimentos básicos de internet, sabe como se podem, ,em arranjar amigos no facebook, o problema é que ninguem sabe onde vivem , quantos anos realmente têm, se votam em Almada ou em Alguidares de Baixo etc etc .

Li há pouco, que um candidato a uma pequena junta de freguesia do interior, com pouco mais de 2.000 habitantes tem mais de 3.500 amigos, se se candidatasse a Almada ganhava a Camara com uma perna ás costas....

E se fosse o Cristiano Ronaldo nem é bom falar...

Nem tudo Freud explica disse...

Os cartazes podem motivar alguém a votar num determinado sentido, isto se incluírem propostas para implementação no concelho.

Relativamente às redes sociais, estou totalmente de acordo e acrescento mais: apostar exclusivamente nos gostos e nos seguidores só serve para afagar o ego, nada mais do que isso.