terça-feira, 13 de agosto de 2013

O outdoor da CDU em Almada (Joaquim Judas)


Este é o cartaz da Coligação Democrática Unitária (CDU) - ou Partido Comunista juntamente com a sua filial Partido Ecologista «Os Verdes» - para as eleições à Câmara Municipal de Almada, cujo candidato é Joaquim Judas, actual Presidente da Assembleia Municipal do Seixal. O mais notório neste cartaz é a diferença face aos habituais cartazes de fundo branco e aspecto minimalista a duas cores (normalmente verde e vermelho) bem como face aos utilizados nas últimas eleições autárquicas que tinham como candidata Maria Emília Neto de Sousa (o fundo branco com azuis).

Pontos fortes:
  • O azul funciona para a propaganda eleitoral como o preto para a roupa feminina: é uma aposta segura e combina com praticamente tudo. A CDU seguiu esta aposta, tal como o fez o PSD. No entanto, contrariamente ao CDS, que apostou de forma lamentável nesta cor, a CDU explora bem a variação de intensidade da cor.
  • A utilização do verde como segunda cor, como forma de destacar algumas palavras-chave da candidatura e a diferença entre o verde e o azul num movimento diferente da tradicional, básica e monótona linha recta.
  • A apresentação do candidato. O fato e gravata - ainda para o mais a simplicidade no fato escuro, camisa branca e gravata de padrão aceitável - transmitem sempre um ar mais profissional e mais qualificado do que a escolha do pólo ou da camisa sem gravata.
  • A transparência na fotografia do candidato. A fotografia do candidato parece ser actual, ao contrário das fotografias da actual edil almadense ao longo da última década, carregadas de Photoshop e já muito antigas para disfarçar o avanço da idade.
  • A referência aos meios onde os eleitores os podem encontrar na internet. O sítio da CDU Almada e a página de Facebook são opções felizes.

Pontos fracos:
  • A dimensão da fotografia do candidato: demasiado pequena para um cartaz tão grande. Se ninguém o conhece, talvez tivesse sido mais feliz reservar mais espaço para destacar o candidato.
  • O azul em algumas palavras sob fundo azul. É certo que o objectivo é destacar «CDU FAZ BEM!», mas podiam ter sido escolhidas outras cores que não um azul sob fundo azul.
  • O destaque dado a «CDU FAZ BEM!» e o quase apagamento de Almada. Afinal, se o que importa é a cidade, o lema não devia ser «Almada FAZ BEM!»? Simultaneamente, falta uma vírgula entre CDU e Almada e o lema «Com a CDU Almada faz bem!» parece ter sido criado por uma criança de 6 anos. O lema não faz grande sentido e dificilmente ficará na memória de quem o lê.
  • As clichés para preencher espaço sem qualquer conteúdo ou proposta. Trabalho, honestidade, competência? Não é o que todos prometem?
  • A infeliz ausência de Maria Emília Neto de Sousa do cartaz. É como um clube de futebol fazer publicidade com o contabilista e deixar de lado a estrela da equipa. Embora não seja candidata, a verdade é que Joaquim Judas é um total desconhecido dos almadenses. Não seria possível juntar os dois no mesmo cartaz para dar ideia de continuidade entre um ciclo e outro ou para explorar a imagem de que ainda goza junto do eleitorado almadense?

Apesar de seguir a estratégia dos candidatos do PS e do PSD, espalhando os cartazes pelo maior número de locais estratégicos possível, a CDU faz uma boa aposta gráfica, embora desperdice espaço para transmitir rigorosamente nada. Os eleitores continuam sem conhecer uma ideia proposta pelo candidato e os cartazes replicam-se da mesma maneira, com banalidades e um lema pueril, por todo o município, quando poderia seguir a estratégia de outros candidatos que divulgam medidas que pretendem implementar em cada área onde se encontra o cartaz.

Em suma, o outdoor será demasiado pobre para quem pretende substituir a autarca no poder desde 1987. Só se espera que a CDU tenha maturidade suficiente para, ao contrário do que lhe é habitual, não pintar paredes públicas com os símbolos e dizeres do partido ou para encher postes de iluminação com propaganda disposta da mesma maneira que a decoração dos santos populares. O civismo também é uma forma de propaganda.

6 comentários:

Anónimo disse...

É verdade que o civismo é um argumento frequentemente invocado para quase tudo e mais um par de botas, particularmente pretendendo opor o "civismo" aos direitos, nomeadamente o direito à propaganda política, que aliás a Constituição consagra. Parece-me que respeitar a Constituição é do mais elementar civismo, e daí que "pintar paredes públicas com os símbolos e dizeres do partido ou para encher postes de iluminação com propaganda disposta da mesma maneira que a decoração dos santos populares" é, não só de respeitar, como de incentivar. Senão, qualquer dia é preciso tirar licença de isqueiro, se é que me entende..

Nem tudo Freud explica disse...

Sim, entendo a que se refere. E concordo inteiramente que todos devem respeitar propaganda eleitoral e as escolhas feitas por cada lista neste sentido.

Contudo, se a questão dos cartazes em dimensões menores espalhados por postes de iluminação da cidade possam justificar-se com gostos ou opções pessoais - e eu, como já pôde perceber, não gosto, mas compreendo que alguns o prefiram -, o mesmo não posso dizer da utilização de paredes e locais públicos para propaganda eleitoral, uma vez que até a lei o proíbe. E isto inclui redes de escolas (como a Básica 2+3 do Monte da Caparica) e paredes de escolas e hospitais. E uma vez que a lei não viola a Constituição, deverá ser respeitada neste aspecto.

Anónimo disse...

É muito triste que em pleno sec. XXI, existam partidos que continuam a achar que o mural político é um direito constitucional. Quanto aos cartazes nos postes de iluminação não me incomodam tanto como o Lenine pintado na parede junto à creche da Ramalha, ou o centro Sul pejado de cartazes a anunciar touradas em Montemor. Quanto à frase do cartaz penso que escrever CDU Almada seja uma forma de criar uma identidade própria para cativar cidadãos que não se revejam no comunismo. Neste momento, não estou seguro que a ausência da Maria Emília seja um factor negativo da campanha. Onde a CDU está realmente de parabéns é no site, que apresenta uma informação muito bem estruturada. O site da campanha é, seguramente, um dos melhores desta eleições a nível nacional. A CDU arriscou muito com Joaquim Judas, pois pode-se queimar ao apresentar um candidato que transita de uma das Câmaras mais endividadas e corruptas do pais, sendo que a vontade da população era que o candidato da CDU fosse José Gonçalves, Presidente do SMAS. Apresentasse o PS, Ana Jorge como candidata e provavelmente o 25 de Abril chefaria ao nosso concelho.

Anónimo disse...

Gostaria de agradecer ao FREUD os posts colocados sobre o nosso concelho. Depois do fim do blog EMALMADA e da extrema politização do blog infinitos, creio que estes posts são uma lufada de ar fresco para a democracia em Almada. Oxalá, mais pessoas venham aqui trocar opiniões.

Agora falta a análise aos cartazes do BE, e do conteúdo programático dos partidos

Nem tudo Freud explica disse...

Concordo com o primeiro anónimo relativamente ao site da CDU Almada. Está, de facto, muito bem conseguido de completo que é. A propaganda digital dos partidos também será abordada neste espaço muito brevemente.

Nem tudo Freud explica disse...

Ao segundo anónimo,

Ainda não vi cartazes do BE e de outros partidos, mas quando tiver contacto com eles, certamente serão abordados. O mesmo relativamente ao conteúdo programático dos partidos.

Infelizmente, o espaço EMALMADA terminou. Era um sítio de referência e com abordagens muito pertinentes aos problemas da cidade. Não querendo substituí-lo, certamente que incidirei muitas matérias sobre Almada neste meu espaço, estando ainda à disposição para abordar outras que sugiram.