terça-feira, 20 de agosto de 2013

A internet nas autárquicas em Almada

De acordo com os resultados dos últimos censos, Almada tem uma taxa de analfabetismo de 3,27% e 39,36% dos munícipes têm um nível de formação correspondente ao ensino secundário ou superior - sendo que o grau de formação académica pouco ou nenhum impacto tem no contacto entre as pessoas e as tecnologias pois, no quadro actual, qualquer pessoa que saiba ler e escrever e tem acesso a um telemóvel ou a um computador consegue aceder à internet. Paralelamente, recordemos que 95.055 dos munícipes (54,62%) têm idades compreendidas entre os 25 e os 64 anos - e não podemos ignorar os 17.667 com idades entre os 15 e os 24 anos, muitos dos quais já com capacidade eleitoral activa e passiva, apesar de 20,53% da população residente em Almada ter idade superior a 65 anos. E apenas 0,59% da população activa trabalha no sector primário.

Ora, sucede que todos estes números demonstram que não há motivos para concluir que as tecnologias não têm importância. Têm e provavelmente vão ter cada vez mais. No entanto, importa olhar para a internet com muitas reservas. As redes sociais são exemplo disso. Como é possível ter um número tão elevado de pessoas com potencial de acesso à internet e os partidos políticos terem tão poucos seguidores nas redes sociais? O acesso à internet, em geral, também merece alguma reflexão. Como se explica que num município com 174.030 munícipes, todos os sítios municipais tenham registado 390.000 visitantes? A resposta a estas perguntas talvez seja «porque a maioria dos munícipes não utiliza a internet para fins de carácter político», apesar de as taxas de abstenção serem inferiores ao número de pessoas que dedicam a internet a conteúdos não políticos.

No entanto, porque os partidos políticos devem ter alguma cautela com a abordagem activa na internet, no sentido de irem directamente ao encontro de potenciais votantes, tornando-se dependentes da iniciativa de quem os pretende visitar, importa ter meios suficientes para que, quando tal suceder, as pessoas possam identificar-se com o que vêem e sentir vontade de regressar ou, porque não, difundir para terceiros os espaços que visitam. Até mesmo uma visita ocasional pode ter um efeito positivo numa candidatura, sendo necessário apresentar conteúdos que surpreendam e causem boa impressão.

Desta maneira, importa analisar que meios têm os partidos políticos em Almada à disposição de quem os pretenda visitar ou saber mais sobre eles. Como é natural, constituem mais-valias domínios próprios (.pt, .org ou .com) e a não dependência de domínios e servidores de terceiros (por exemplo, os domínios blogspot ou blogs.sapo.pt), uma vez que a opção pela primeira via transmite mais profissionalismo e causa mais impacto no destinatário e a pobreza franciscana ainda não impressiona ninguém.

Simultaneamente, a opção por um sítio é preferencial à opção por um blog - excepto, eventualmente, ao nível de freguesias -, sendo que qualquer sítio também não será a melhor opção. A solução de desenrasca e de apresentação de qualquer conteúdo, mesmo com aspecto ultrapassado ou mal concebido, só para se dizer que se tem alguma, não é uma escolha inteligente e poderá causar um impacto adverso a não ter nada ou a ter pouco.

Foram tomados em consideração vários critérios, pelo que as conclusões seguem infra.

CDU
A CDU Almada não tem muitos meios disponíveis para consulta na internet, embora tenha os suficientes para conseguir transmitir a sua mensagem e de forma muito interessante. Têm um sítio exclusivo com domínio próprio bem concebido, um dos melhores de todos os partidos políticos com representação em Almada. Embora apresente algumas lacunas em período de autárquicas - não apresentando, ainda, as listas completas de candidatos às freguesias ou o programa eleitoral -, o menu de opções é muito intuitivo e simples e o grafismo está também bem concebido, tornando a navegação no sítio muito fácil e pouco pesada. Alguns aspectos podiam ser melhorados - nomeadamente, dispor uma ficha com os dados biográficos dos cabeças-de-lista aos órgãos municipais -, mas, regra geral, a CDU Almada disponibiliza um sítio interessante, constantemente actualizado, que tem ainda como bónus áreas exclusivamente dedicadas a cada freguesia e ao trabalho desenvolvido nas mesmas. Assinala-se ainda um favicon próprio, o que atesta o cuidado com os pormenores.
Outro factor negativo é a propaganda forçada. Chegamos ao ponto de ter depoimentos de «apoiantes» que são meros cidadãos de Almada e que dão como testemunho «Conheço o Joaquim há 40 anos. É um Homem Bom!». No mínimo, dispensável, até porque a forma como esta secção do sítio está concebida denota um amadorismo que não corresponde à qualidade do resto do espaço: mau aspecto gráfico, mal escrito e conteúdo manifestamente fraco e forçado.

Além do sítio, a CDU dispõe ainda de página no Facebook, também ela constantemente actualizada e com a realização de eventos relacionados com a actividade do partido no concelho. No entanto, esta página é limitada por se tratar de um perfil e não de uma página de seguidores, o que a impede de aceitar mais de 5.000 solicitações de amizade. Finalmente, foi ainda descoberto um perfil ao candidato à Câmara Municipal de Almada, Joaquim Judas, no entanto, percebe-se que ou o candidato não a utiliza ou o seu conteúdo está reservado.
Em suma, a estratégia da CDU Almada na internet assenta na simplificação da difusão de conteúdos, na actualização permanente e na centralização da actividade e da disponibilização de conteúdos no núcleo que gere toda a matéria concelhia. Já na divulgação, o Partido conta com um nível de actividade considerável, uma vez que não só os candidatos promovem conteúdos da concelhia, como também muitos seguidores dos candidatos o fazem, permitindo que os conteúdos sejam acompanhados por um número muito razoável de seguidores.



PS
Ao contrário da CDU Almada, o PS Almada conta com mais alguns meios de difusão dos seus conteúdos, embora a diferença não seja significativa. Com efeito, assinala-se o facto de o Partido ter páginas exclusivas da actividade desenvolvida na Caparica - via blog e Facebook -, na Costa da Caparica e no Laranjeiro. Contudo, lamentam-se (i) o facto de apenas o núcleo do Laranjeiro actualizar os conteúdos e (ii) não haver uma estratégia uniforme de actualização de informação para as restantes 8 freguesias. Aliás, nem há motivo que o justifique, uma vez que o PS tem representação autárquica em todas as freguesias e a criação de um blogue não tem qualquer custo associado. Pior, as duas freguesias geridas pelo Partido (Trafaria e Charneca da Caparica) não têm sítio exclusivo de acompanhamento à actividade autárquica desenvolvida. Pelo meio, assinala-se ainda uma análise SWOT realizada pelo núcleo da Caparica que deixa muito a desejar.
Em sentido contrário, destaca-se o facto de o PS Almada ter uma página com domínio próprio, com um aspecto gráfico moderno e navegação simples. Não tem favicon, tem um resumo insípido sobre cada freguesia, tem uma secção dedicada à actividade desenvolvida no município e nas freguesias que está muito pobre, ainda não tem programa eleitoral disponível para consulta, nem informação sobre os candidatos aos órgãos municipais - o que se lamenta - e não actualizam o sítio. Todavia, apresenta alguma informação sobre os representantes dos órgãos concelhios e disponibiliza um perfil do candidato à Câmara Municipal de Almada.
Finalmente, o PS Almada tem ainda contas actualizadas na Flickr e no Twitter e disponibiliza o jornal de campanha em formato digital.

A clara aposta do PS Almada nas tecnologias está focada no Facebook, uma estratégia arriscada e um pouco negligente pelos motivos acima referidos. É, neste sentido, que podemos encontrar uma página própria de Facebook, frequentemente actualizada e muito difundida entre candidatos, apoiantes e simpatizantes. O candidato Joaquim Barbosa também tem uma página própria devidamente actualizada e activa.



PSD
O PSD Almada dispõe de poucos meios de difusão de propaganda. Tem um sítio com domínio próprio (e favicon), o grafismo será aceitável, o menu de navegação é intuitivo, embora limitado, e não tem secção reservada às autárquicas - apenas se destacam os cartazes à entrada do sítio. Não apresenta candidatos, nem sequer é feita referência ao nome do candidato à Câmara Municipal, e o programa eleitoral não está disponível. Lamentavelmente, não apresenta qualquer conteúdo que permita acompanhar as iniciativas do Partido no concelho e nas freguesias.
Tem, porém, vários meios de contacto, uma agenda relativamente actualizada e apresenta os nomes de todos os representantes do Partido nos órgãos autárquicos e ainda informação detalhada acompanhada de perfil dos membros do órgão executivo concelhio.
Paralelamente, o PSD Almada mantém um blog que não é actualizado desde 2012 e onde constavam alguns conteúdos de iniciativas organizadas pela concelhia - curiosamente, o sítio não faz referência ao blog. Mais, tem página própria no Facebook e uma página nesta rede social exclusiva para a candidatura de António Neves, candidato que tem, aqui, um perfil pessoal. Embora com poucos seguidores, assinala-se a conta que a concelhia tem no Twitter.

Em suma, apesar de alguns pontos que a diferenciam dos restantes partidos no concelho, a estratégia do PSD Almada envolvendo a utilização da internet está longe do pretendido, embora tenha potencial para muito mais.



Bloco de Esquerda
A abordagem do Bloco de Esquerda Almada à utilização da internet concentra muitos vícios dos 3 partidos acima referidos e acrescenta outros que mais ninguém repete. Desde logo, assinala-se o facto de a concelhia não ter uma página própria, publicando os conteúdos respectivos através da página da Distrital de Setúbal do Bloco. Consegue ser mais centralizador que os restantes partidos, reduzindo a autonomia da concelhia para difusão de propaganda. O espaço em si é muito básico, não tem menu de opções e este sítio limita-se a publicar notícias. Resumindo, é uma opção muito infeliz que não impressiona minimamente quem a visita. Saber quem dirige a concelhia e conhecer o programa eleitoral para os locais é uma tarefa bastante complicada, uma vez que as concelhias são geridas como se fossem localidades de um único concelho que é o distrito de Setúbal.
Curiosamente, encontramos espaços autónomos para 3 freguesias de Almada: Cacilhas e Charneca da Caparica com blog próprio e Costa da Caparica com página no Facebook. Infelizmente, a página da Charneca da Caparica não é actualizada desde Agosto de 2012 e a de Cacilhas ficou orfã desde que Ermelinda Toscano abandonou o Partido. Já a página de Facebook do Bloco de Esquerda na Costa da Caparica vai sendo actualizada, o mesmo sucedendo relativamente à página da concelhia de Almada. Joana Mortágua, candidata à Câmara Municipal de Almada, também tem um perfil pessoal, que actualiza com frequência. Ainda assim, não existe percepção da actividade do Bloco através da internet. Isto sucede por um simples motivo: ou não há dinamização por esta via ou então a que há é mal feita.



CDS-PP
Tal como o Bloco de Esquerda, o CDS-PP Almada comete alguns erros cometidos pelos restantes partidos com representação no concelho, acrescentando outros difíceis de entender. Desde logo, lamenta-se a tremenda quantidade de meios criados por esta concelhia, sem que os mesmos acabem por ser minimamente aproveitados. Havia um sítio com aspecto gráfico e navegabilidade fracos, que foi descontinuado, existem blogs, conta de Twitter e páginas de Facebook. O resultado de toda esta mistura é que quem quer ir a todas acaba por não ir a nenhuma.
De facto, constata-se que, actualmente, o CDS-PP Almada não tem um sítio com domínio próprio, antes um blog concebido de forma tremendamente amadora. Bem sei que os recursos disponíveis não permitem muitas aventuras, mas há pessoas no Partido capazes de transformar um blog num sítio com um ar minimamente decente e um domínio custa menos de €10,00 por ano. Por outro lado, critica-se a má concepção do blog, com imagens desalinhadas, cores pobres e português muito questionável. Questiona-se, também, o porquê de um tipo de letra militar para escrever CDS-PP Almada, o que torna a aparência do blog mais agressiva e menos aprazível do que devia ser. Finalmente, não é possível obter informação sobre os membros que compõem os órgãos concelhios, os candidatos aos órgãos municipais e de freguesia ou o programa eleitoral, a agenda dos candidatos e o próprio espaço não é devidamente actualizado.
Simultaneamente, importa referir que o candidato à Câmara Municipal, Fernando Sousa da Pena, desenvolve um blog desde a campanha de 2009 que, de quando em vez, apresenta conteúdos que dizem pouco respeito a Almada. Tanto este espaço como o oficial da concelhia deviam ter as iniciativas desenvolvidas pelo Partido no concelho e nos órgãos autárquicos.

Ao mesmo tempo, o CDS-PP Almada explora duas contas no Facebook: uma, a oficial, a outra, a da campanha autárquica. Uma vez mais denota-se a falta de sensibilidade para o pormenor, uma vez que a conta oficial não tem como terminologia CDS-PPAlmada a seguir a «facebook.com/», antes tem um código numérico composto por 15 dígitos que impede o Partido de inserir o link em qualquer material de propaganda, o que é passível de ser corrigido se houver vontade. No entanto, salva-se o facto de tanto uma página como outra serem constantemente actualizadas, o mesmo relativamente à conta pessoal que o candidato Fernando Sousa da Pena tem nesta rede social. No mais, destacam-se as páginas de Facebook de 5 freguesias do concelho (Cacilhas, Caparica, Charneca da Caparica, Costa da Caparica e Laranjeiro), mal exploradas pela concelhia e desactualizadas.

Em suma, embora se constate que a estratégia do CDS-PP passa pela aposta nas redes sociais, até mesmo em detrimento das visitas ao terreno, esta aposta é mal feita, uma vez que o tratamento dado à informação é básico e mau, não há actualização de conteúdos, nem disponibilização de informações básicas, a difusão ocorre mais entre os militantes de todo o País do que propriamente aos munícipes e os meios que deviam ser o cartão de visita para o exterior, como o sítio, não tem condições para se manter activo, por ser pouco atractivo e poder comprometer a imagem da concelhia. Nada que vontade e interesse não corrijam.


2 comentários:

Anónimo disse...

Ora aqui está um bom guião para qualquer candidatura autárquica. Parabens Freud. A ver se aparece mais gente a comentar

Anónimo disse...

Excelente altura para dar início a mais uma análise