sábado, 27 de julho de 2013

O «outdoor» do CDS-PP Almada

Como é sabido, o CDS-PP tem promovido a campanha de redução de aposta em propaganda de rua, tendo como princípio fundamental a redução de custos. Concordo com o fim que esta proposta visa atingir, mas também já pude expressar algumas reservas, sobretudo no que diz respeito à utilização de tecnologias.

Assim sendo, em princípio, as candidaturas autárquicas do CDS-PP não terão cartazes nas ruas. Mas há outras, como a de Almada, que continuam convictas que a campanha e a conquista de votos se faz através de uma página de Facebook com 1.600 seguidores - num concelho com cerca de 170.000 habitantes -, dos quais cerca de 95% são militantes do partido de todos os pontos do País (excluindo os de Almada). Ir para as ruas, o principal meio de conquista de voto, está praticamente fora de questão, só a dois meses das eleições e a cada quinze dias, ao domingo à tarde, período durante o qual ainda se pode aproveitar para beber uma cerveja.

Questiona-se se acreditam mesmo que estão a fazer campanha para uma multidão de eleitores ou se utilizam a página apenas para afagar o ego. Não obstante, o CDS-PP Almada decidiu fazer outdoors digitais, ou cartazes que publicam no Facebook, acompanhados de algumas medidas que propõem. O resultado é, no mínimo, intrigante, senão vejamos:


Juntar letras brancas e azuis num fundo azul e branco não parece que seja a escolha mais feliz. Fica esteticamente pobre (e não apenas simples), o tamanho de letra é demasiado pequeno para todo o espaço disponível no outdoor e a mensagem é igualmente pobre e enigmática - quando devia ser clara.

O símbolo do Partido é bem visível, mas questiona-se o motivo de preencherem 25% do espaço disponível, no lado esquerdo, com a pessoa que dá a cara e com o símbolo do Partido, deixando 75% do espaço quase vazio. Mais, «Almada Autárquicas 2013» significa pouco ou nada. Seria melhor se fosse feita a referência a Câmara Municipal, Assembleia Municipal ou Assembleia de Freguesia.

Por outro lado, ninguém sabe se está perante um figurante ou perante um candidato (ao que quer que seja). Mais, não basta as cores predominantes serem o azul e o branco, o sujeito ainda tira fotografias com roupas praticamente claras. E, pior, não deixa de ser irónico que o outdoor diga respeito a mobilidade e o candidato, apesar de ter um casaco tão largo que parece o casaco de um avô com o triplo do seu peso, ainda tem os braços numa posição que parece que está preso por um colete de forças.

Um outro exemplo de amadorismo é evidente no seguinte outdoor:


Além de se manter o padrão de escolha de cores infeliz, é possível constatar que estes cartazes são feitos em cima do joelho pelo facto de terem uma dimensão completamente diferente da do primeiro e de, o tamanho e o tipo de letra serem também diferentes e, na parte inferior, já não aparece «Almada Autárquicas 2013» mas «CDS Almada 2013», também com outro tamanho de letra e numa zona do outdoor diferente da do outro. Não há rigor. E o que dizer de um buraco enorme sem qualquer tipo de preenchimento?

Gostava de afirmar que esta imagem foi produzida em Photoshop e, se foi, houve recurso às ferramentas mais básicas deste programa - como o degradé de fundo azul que se vai tornando branco e o sentido inverso da mesma combinação de cores na linha inferior onde está escrito «CDS-PP Almada 2013». Tudo isto demonstra falta de capacidade para fazer propaganda e, também, falta de conhecimentos mínimos para explorar as tais tecnologias que o próprio CDS-PP defende.

No entanto, importa ainda fazer uma referência a quem dá a cara por este outdoor. Estamos perante uma candidata, uma médica que dá a cara, uma médica candidata ou mascararam uma moça com uma bata e um estetoscópio e tiraram a fotografia querendo fazer o destinatário crer que estamos perante uma médica? Se for a última hipótese, a criatividade e visão de quem comanda a campanha ainda é mais preocupante, de tão pueril que é.


Repare-se ainda no cartaz da candidata à Costa da Caparica. Novamente o problema das cores de fundo e das letras. Provavelmente leram o conteúdo desta peça e começaram a publicar os nomes de quem dá a cara e a identificar o órgão a que se candidatam. Não obstante a pobreza gráfica, que pode encontrar diversas justificações, será difícil de explicar um erro gramatical básico num outdoor. Colocar uma vírgula entre o sujeito e o predicado é indesculpável e também passível de afectar a própria credibilidade de quem divulga um conteúdo de cariz político.

Apesar das fragilidades evidentes na tentativa de organização de uma campanha que demonstram que o CDS-PP Almada se encontra num nível abaixo do amador - e brevemente comentaremos neste espaço aquilo a que chamam de propostas -, não pode deixar de merecer estupefacção este terceiro outdoor digital:

Não fui eu que encolhi ou despixelizei o cartaz. Este é o tamanho original! O cabeça-de-cartaz, o peso-pesado de toda esta campanha, que é o candidato a Presidente de Câmara, tem direito a um rectângulo em formato nano! Ainda dá para perceber que o candidato tem cabelo e que está lá escrito «trazer Almada de volta!», mas a pobreza do cartaz é assinalável e lamentável. Ainda assim, parece ter mais potencial de seriedade do que os dois exemplos de cima. E o candidato a Presidente da Assembleia Municipal? Já perdeu o medo de tirar fotografias ou vai permanecer desconhecido?


* o artigo foi actualizado às 15h00 de 28 de Julho de 2013 para acrescentar o texto referente ao outdoor da Costa da Caparica.

11 comentários:

Anónimo disse...

Tu estas e com dor de corno, um frustrado que nunca ninguém te quis para político e agora nada mal acompanhado pelo PCP e o BE.que te conheça que te compre

Nem tudo Freud explica disse...

A Brigada do Tinoni continua a mesma e não mudou nada: comentários anónimos, com um grau de elevação consideravelmente baixo e sem poder de encaixe para aceitar críticas.

Tens toda a razão, estou mesmo frustrado por não ter a minha cara estampada num slide de powerpoint com erros gramaticais nele escritos e divulgado para militantes do Partido... que não são de Almada.

Continuem a dar sinais de vida e a fazer convites com perfis falsos no Facebook e a fazer insinuações sem o mínimo cabimento, como essa de estar «acompanhado pelo PCP e pelo BE». O vosso trabalho (ou falta dele) diz tudo: aspirantes a amadores.

Anónimo disse...

Cá para mim és um agente infiltrado dos comunas

Nem tudo Freud explica disse...

Não sou eu que gosto de comer crianças...

Anónimo disse...

Numa cidade com um dos mais altos nível de deficit democrático, é lamentável, que as iniciativas que permitem um pouco de debate sobre a cidade, sejam preenchidas com ataques pessoais ao qual o dono do blog responde no mesmo tom. Penso que deveríamos aproveitar estas oportunidades para um debate mais aprofundado sobre o tema. Quanto a este post, o tema da campanha digital está muito bem retratado, ao qual apenas gostaria de juntar o facto de Almada ter uma população envelhecida que nenhum contacto tem com as novas tecnologias. Posso entender, que se gaste menos em outdoors, mais vale poucos em pontos estratégicos do que não apresentar nenhum. Só que a campanha digital do CDS-PP apresenta falhas graves que devem ser corrigidas quanto antes. No meu caso, tentei procurar os candidatos do CDS no site Almada XXI, site da campanha de 2009. Este blog menciona a candidatura de Fernando Sousa Pena nas eleições de Setembro, sendo que o último post é do dia 24 de Julho, não tem qualquer ligação com a página oficial da campanha, ou seja tive cerca de uma semana à espera de novidades e nada. Um dia fui ao blogspot do CDS-PP Almada, e aqui também a situação é no mínimo desconcertante. O último post é de 23 de Junho, cujo título é autárquicas 2013, e o blog apresenta como ligação útil o blog almada XXI, ou seja, nada da página oficial das autárquicas 2013, mais uma semana à espera de novidades. Um dia por completo acaso, verifiquei que o CDS Almada tinha página de facebook, como não disponho de conta no facebook, não tinha grandes esperanças de visualizar muita coisa. Contudo ao fim de 15 dias de incessante procura, lá consegui encontrar o espaço informativo do CDS para as autárquicas de 2013. Partilho da opinião de FREUD sobre a temática do candidato/figurante dos cartazes, não apenas na rapariga vestida de médica, mas também no cartaz “sistema de acção social justo” e no cartaz “mobilidade para todos”. Quanto aos posts colocados, parecem uma amalgama de propostas que foram escritas num guardanapo durante uma tarde de Verão a comer petiscos!!!. Por exemplo, parece que a solução da economia do concelho está na arte xávega e na Pesca ao Corricão. E a vídeo proteção vai ser instalada no Pica-Pau amarelo!!!!!!!!!!, quando a iluminação no centro da cidade está desligada a maior parte da noite. Sserá que isto é o que os Almadenses anseiam!!!!!!!!!!!!!!!!. E as propostas dos candidatos às juntas de freguesia onde estão??? É claro que quando se escreve muito, as boas propostas como a extinção da ECALMA passam despercebidas. Mas os sites não acabam aqui, porque ainda temos o Almada Metropolitana , ao que parece a Página Oficial da Candidatura do CDS-PP no Concelho de Almada, mas julgo que depois de 4 sites acho que ninguém tem paciência para continuar a ler mais sobre marketing político digital. Quanto ao CDS-PP estarei particularmente atento ao desempenho de Raquel Paradella Lopes em Almada, uma cara jovial no meio de trambolhos e outro com ares de mariconço, que poderá ser uma surpresa se marcar uma forte presença na rua.

Nem tudo Freud explica disse...

Prezado/a (último/a) Anónimo/a,

Compreendo o que afirmou inicialmente, mas espero que compreenda que não podia deixar de dar conta a quem invadiu este espaço de forma subversiva que eu sei perfeitamente quem escreve estas mensagens. No entanto, porque não pretendo transformar este espaço num espaço de troca de ofensas e acusações, moderei temporariamente os comentários para pôr um fim aos intentos que as referidas pessoas queriam.

Indo ao cerne da questão que interessa, o debate sobre os temas da cidade, sugiro-lhe que vá acompanhando o que aqui se vai escrever no futuro, uma vez que pretendo dar um maior ênfase a temas que preocupam a cidade de Almada e incidir a discussão no programa eleitoral das listas candidatas. Sucede que algumas ainda não o têm disponível para consulta - o que não impede, todavia, a discussão.

O CDS-PP Almada continua a insistir em erros grosseiros do ponto de vista estratégico: promove a campanha digitalmente sobretudo nos meios do partido sem quase participação dos almadenses e, como disse bem, ignorando uma população tendencialmente envelhecida sem grande acesso às tecnologias. Finalmente, ignoram também as idas ao terreno, onde realmente estão os votos. Não obstante, os meios digitais ainda são mal dinamizados.

O CDS-PP Almada tem pessoas com potencial e capazes, mas são mal lideradas. Ainda para o mais convém não esquecermos os problemas não muito longínquos entre a concelhia e o candidato Fernando Sousa da Pena, que levaram à ruptura entre ambos e à deslocação da militância do candidato para Lisboa.

Escrever chavões populistas é fácil e prometer sabendo que não se chega ao poder, mais fácil é. No entanto, terei oportunidade de dissecar algumas dessas clichés e até mesmo algumas constatações surpresa. Espero que passe por cá para discuti-las. Quanto ao resto, subscrevo o que disse. Há falta de noção da realidade para se fazer a (péssima) campanha (digital) que se está a fazer. Mas como sei como funciona a casa...

Relativamente à Raquel Paradella Lopes, é uma das pessoas que respeito e que acredito ser capaz de fazer um bom trabalho. Tem capacidade, tem atitude, tem iniciativa e tem até qualidade para liderar esta concelhia e esta campanha de forma mais responsável e competente. Acho que a união de freguesias a que é candidata se adequa ao seu perfil e espero que seja bem sucedida. Estarei a acompanhar.

Anónimo disse...

Estimado FREUD,

Compreendo o seu desejo de resposta a quem o provocou, contudo penso que FREUD não está ao mesmo nível de Carlos Guedes do BE que manda à merda todas as pessoas que o tentam diminuir na blogesfera ( http://5dias.net/2012/03/27/tres-respostas-a-la-minute-ao-carlos-guedes-e-a-verdade-dos-factos-sobre-a-cisao-provocada-pelos-movimentos-flexiveis-dinamizados-pelo-bloco-de-esquerda/.

Gostaria apenas de esclarecer que no meu post anterior quando me referia a trambolhos e outros com ar de mariconço, estava-me a referir aos candidatos dos outros partidos e não propriamente a alguem do CDS.

Anónimo disse...

Meu caro freud por acaso ja se perguntou a si mesmo porque e que o CDS vai ter pouca propaganda na rua?Acho que o deveria fazer antes de criticar seja o que for.Vou lhe dar um conselho se informe antes de criticar.Abraço

Anónimo disse...

Meu caro freud por acaso ja se perguntou a si mesmo porque e que o CDS vai ter pouca propaganda na rua?Acho que o deveria fazer antes de criticar seja o que for.Vou lhe dar um conselho se informe antes de criticar.Abraço

Nem tudo Freud explica disse...

Caro anónimo,

tive oportunidade de começar este artigo dizendo «como é sabido, o CDS-PP tem promovido a campanha de redução de aposta em propaganda de rua, tendo como princípio fundamental a redução de custos. Concordo com o fim que esta proposta visa atingir, mas também já pude expressar algumas reservas, sobretudo no que diz respeito à utilização de tecnologias. Assim sendo, em princípio, as candidaturas autárquicas do CDS-PP não terão cartazes nas ruas.»

Deixei ainda uma hiperligação para um link onde debato a temática, o que demonstra que sei o motivo pelo qual o CDS-PP não vai ter publicidade na rua. Ainda assim, não deixa de ser estranho que algumas candidaturas do CDS tenham outdoors nas ruas e outras em coligação com o PSD também. Isto leva-me a questionar porque motivo umas têm e outras não.

O que critico neste artigo é, além do gritante amadorismo com a produção de outdoors digitais, o facto de o CDS-PP Almada não estar presente no terreno, depositando fé no Facebook.

Um abraço

Anónimo disse...

Em relação a suposta "médica". Quem chumba anos a fio num curso e depois se mascara de médica não merece o voto de ninguém.