domingo, 7 de abril de 2013

As três saídas de Passos Coelho

Primeira: um aumento de impostos sobre o consumo nunca antes visto;

Segunda: o mesmo corte de subsídios de férias para trabalhadores do público e do privado;

Terceira: Chipre, aquela solução que se prometeu ser caso único e que possivelmente não o será.

Claro que renegociar a sério com a troika seria a melhor opção, mas nem a considero porque não vejo Passos Coelho e Vítor Gaspar capazes de o fazerem.

Sinceramente, talvez seja melhor começar a pensar em fazer o levantamento de dinheiro do banco.

2 comentários:

António Gomes disse...

existe uma quarta opção... e devbia trer sido utilizada desde inicio... Pagar os subsidios em Certificados do tesouro (obrigações) A serem levantadas a um mínimo de 5-10 anos, dependendo da idade do funcionário.

Nem tudo Freud explica disse...

Tem razão, mas essa solução não se aplicaria como alternativa aos quatro chumbos. Além de que isso se traduz num aumento de despesa além daquela que o Governo terá com o pagamento de subsídios.