quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Que importância tem o Turismo para o Governo?

O Governo tomou posse há cerca de 18 meses. Desde então, tem sido notória a ausência de um plano concreto para o sector do Turismo. Ainda assim, as receitas do turismo em Portugal aumentaram cerca de 5% em 2012. Que a inércia do poder político não seja justificada com o princípio «mais vale nada fazer do que correr o risco de estragar», uma vez que para os números de 2012 poderá ter contribuído, significativamente, o facto de Guimarães ter sido Capital Europeia da Cultura.

Esta inacção do Governo não tem sido permanente, verificando-se que o silêncio se deve à falta de visão para o sector. Não será de todo inocente o que tem sido feito nas antigas auto-estradas Sem Custos para os UTilizadores (SCUT) e que acaba por criar constrangimentos à entrada e mobilidade em Portugal, o que não só afecta as receitas do Turismo como ainda compromete a actividade de agentes que dependem do sector para sobreviver.

No entanto, este quadro conheceu uma excepção recentemente com a promoção de um programa arriscado e muito tímido, mas deveras interessante, intitulado «Our deal: no waves, come back for free» e que visava atrair surfistas a permanecerem em Portugal durante um período de tempo durante o qual, se não tivessem condições que lhes garantissem condições minimamente adequadas à prática de surf, o Turismo de Portugal patrocinava o seu regresso. Dado o marasmo que tem sido a actuação do poder político para o Turismo, esta iniciativa soa quase a mero acaso.

É dramática a situação do sector em Portugal. Por vezes fica a sensação que o Turismo nem sequer foi lembrado pelo Governo quando definiu as áreas nas quais interviria. Tudo isto torna-se ainda mais estranho quando vemos que houve uma decisão acertada de integrar o Turismo no Ministério da Economia. Contudo, a ausência de alguém que dê a cara e pense o sector é assustador. Na verdade, intriga-me que se pague um salário a uma Secretária de Estado e às pessoas que compõem o seu gabinete, quando a escassa promoção do Turismo nacional que tem sido feita acaba por ter como obreiro alguém que está a tirar proveito dele. Refiro-me a Garrett McNamara e ao que tem sido falado das ondas da Nazaré nos mais variados e influentes meios de comunicação social de todo o mundo. Confirmem aqui. É incrível como com tão pouco se pode fazer tanto.

Sem comentários: