sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Desejos para 2013

O autor deste espaço também tem telemóveis Samsung - são 2 e não se agita de cada vez que mexe neles como a fulana do Stileto não sei das quantas -, não precisou de pedinchar através de uma publicidade para que alguém lhe pagasse uma viagem a Tóquio - que é muito mais do que «uma cidade grande, [que] tem muitas luzes e movimento» - e também não tem uma máquina de costura antiga na sala de estar.

O autor deste espaço não diz «tipo» a cada 3 palavras, não vive do que escreve, não tem milhares de visitas por dia ou centenas de comentários a perguntarem como está o cão, como foi a corrida à beira rio ou a felicitá-lo por ser fashion e trendy. Também não tem programas de televisão ou rádio onde discute a vida dos outros - discute a sua e apenas com quem é da sua confiança.

Para viver, o autor deste espaço muito menos depende de tendências, eventos, relações públicas, «presenças», cenas, coisas e, tipo, assim. O autor deste espaço julga saber articular mais de 5 palavras numa frase, tem atingido metas pessoais com base no esforço, sabe onde e o que é África e a América do Sul e trabalhou, e muito, para conseguir fazer a viagem a Tóquio que hoje alguns pedincham e possivelmente acabarão por ter.

Por tudo isto, o autor deste espaço julga ter legitimidade suficiente para formular os seus desejos para 2013. Alguns são mais difíceis de alcançar do que uma viagem a Tóquio ou uma mala Chanel, mas são desejos. E são eles:
  • Saúde para continuar a trabalhar ao mesmo nível que tenho trabalhado;
  • Manter o posto de trabalho que tenho;
  • Iniciar e concluir um novo projecto (novo livro);
  • Reunir condições para poder finalmente avançar para o Doutoramento;
  • Um Governo que respeite e faça cumprir a Constituição.

Se a Samsung defende que o seu nicho de mercado deve ser o que se vê naquelas publicidades, então está a fazer uma aposta completamente errada, mais não seja porque em vez de promover um produto para 10,5 milhões de portugueses vai promovê-lo para 2.000. O português médio não é a Pepa Xavier nem a Susana Rodrigues.

Sem comentários: