quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

JSD: porque não se calam?

A JSD emitiu ontem um comunicado cujo conteúdo é, uma vez mais, indigno da dimensão que tem esta entidade. Numa fase crítica para o País, não pode deixar de se lamentar que a JSD se concentre mais na missão de mandar Mário Soares calar-se e de o censurar por não propor cortes na despesa quando estes mesmos garotos continuam sem acrescentar nada de novo ao panorama nacional e nem eles próprios fazem propostas. Pelo contrário. Têm um líder cujo percurso académico e profissional parece apontar que se trata de um legítimo sucessor de Miguel Relvas, tal a manhosice e habilidade para se perder mais com trocadilhos e graçolas a terceiros do que propriamente em fazer política séria que tire Portugal do buraco em que se afunda. Em vez de se comportarem como sabujos fiéis ao dono PSD, a JSD devia apresentar um plano para cortar na despesa e até para relançar o País.

Infelizmente, esta Jota, tal como outras, não passa de mais uma Jotinha que está refém dos cargos de especialistas e até de deputados atribuídos aos seus quadros, também a esmagadora maioria deles sem qualquer mérito. É graças a esta Jota que os nossos jovens colam-se aos partidos, não para fazerem política, mas para se profissionalizarem na arte da bajulação e da evangelização, acabando premiado o que mais vezes disser amén, trouxer novos fiéis para o culto e passear por Portugal inteiro a sorrir para os militantes e a apertar-lhes a mão.

Tenham vergonha. E tenham-na a triplicar. Não só pelo que escrevi supra, como pelo facto de, para o bem ou para o mal, Mário Soares tem em experiência política e profissional mais do que todos vocês juntos. E também porque ainda por cima são ingratos. Há pouco mais de 1 ano, Mário Soares foi convidado da Universidade de Verão do PSD e os mesmos que agora o mandam calar foram os mesmos que, em coro, gritaram «Soares é fixe».

Sem comentários: