terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Do subsídio de Natal e dos Direitos Humanos


Ontem celebrou-se o Dia Internacional dos Direitos Humanos. Porque a dignidade da Pessoa Humana também se vê em questões laborais e Previdência Social, cumprem-se este mês 40 anos desde que foi criado o «subsídio de Natal», por via do Decreto-Lei n.º 457/72, de 15 de Novembro, obra de Marcello Caetano.

Que descansem em paz, tanto o subsídio como o seu criador. O que se está a fazer ao primeiro ilustra o que está a ser feito ao País: sistema de morte lenta.

2 comentários:

CSMSDR disse...

Infelizmente Portugal, ao longo dos anos, tende a seguir as directivas europeias e panorama internacional no que toca a estratégias económicas... A previdência social está condenada, já há bastante tempo, pela moda de seguir o modelo americano, neste caso, o neoliberalismo e o capitalismo desmesurado (que gerou a crise actual, e que tende a gerar crises cíclicas, conforme comprovado na História).
Na Grande Depressão, foram as medidas de Solidariedade Social que permitiram os países recuperar. Hoje, faz-se o contrário.
Quando o Estado anda a ceifar todas as espigas e grãos ao seu povo, a balança não está desequilibrada, está virada ao contrário - é a humanidade em subserviência ao euro.

Nem tudo Freud explica disse...

E pensar em todos os alicerces que nos foram deixados em 1974 e no que temos hoje...