domingo, 24 de junho de 2012

Tempos difíceis para Paulo Portas...

Até ao momento, o desempenho de Paulo Portas tem sido aquilo que considero perto da excelência: Portugal tem o homem certo no lugar certo. Rara excepção neste Governo de Passos Coelho. De facto, tenho dúvidas que Portugal alguma vez tivesse tido um Ministro dos Negócios Estrangeiros tão activo, eficiente e carismático como Portas. Porém, nem sempre tudo corre como se deseja e, por estes dias, o líder centrista viu-se em duas situações embaraçosas. São elas:
Perante isto, Paulo Portas tem muito em que pensar para conseguir inverter estes percalços: em primeiro lugar, ver bem que amigos realmente tem no exterior - tendo sempre a noção que nas relações entre Estados não há amigos, mas interesses; em segundo lugar, tratar de fazer com que às palavras correspondam acções - uma oposição a um boicote tem de ser mais do que dizer aos jornalistas que «não é correcto».

Sem comentários: