domingo, 13 de novembro de 2011

Jovens jogadores de futebol também devem emigrar?

Ainda a propósito das declarações do Secretário de Estado da Juventude e do Desporto, Alexandre Miguel Mestre, o incompreendido que disse, a 30 de Outubro passado, que os jovens portugueses desempregados devem emigrar em vez de ficarem na sua zona de conforto, pergunto-me se o Governo manterá a mesma filosofia relativamente aos jovens jogadores de futebol com nacionalidade portuguesa que enfrentam inúmeras dificuldades para encontrarem o seu espaço entre os profissionais.

Esta pergunta não é em vão. Afinal, importa recordar que ainda a 29 de Agosto, 2 meses antes das declarações do Secretário de Estado, o Ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares, Miguel Relvas, que exerce a tutela sobre as pastas da Juventude e do Desporto, anunciou a constituição de três grupos de trabalho para avaliar três áreas do futebol. O primeiro destes grupos de trabalho foi criado, pasmem-se, com o objectivo de estudar formas de protecção às selecções nacionais e aos jogadores mais jovens, sendo liderada por José Luís Arnaut, agora candidato à Assembleia Geral da Federação Portuguesa de Futebol.

Por uma questão de coerência, e numa altura em que se recomenda a contenção de custos, não seria justo extinguir este grupo de trabalho e que o Secretário de Estado exortasse os jovens jogadores portugueses a saírem da sua zona de conforto e emigrarem para outras paragens onde possam jogar futebol com o estatuto profissional?

Sem comentários: