domingo, 30 de outubro de 2011

Resignação total: Governo aconselha jovens portugueses a emigrarem.

O que dizer de um suposto especialista em juventude que em vez de criar soluções resolve o problema indicando a porta de saída? O que dizer quando esse especialista é o actual Secretário de Estado da Juventude e do Desporto, Alexandre Miguel Mestre, que ontem disse, no Brasil, que os jovens portugueses desempregados devem emigrar em vez de ficarem na sua zona de conforto? Se dúvidas houvesse, depois de o Primeiro-Ministro Pedro Passos ter declarado que Portugal só sai da crise empobrecendo, as declarações de Alexandre Miguel Mestre são a prova da incapacidade e da resignação total do Governo para com as circunstâncias actuais. Com efeito, é fácil abrir a porta aos outros quando já se tem um bom emprego - afinal, onde está a dificuldade em beneficiar das regalias de um governante e esperar que o mau tempo passe ou que alguém nos salve? - e também um bom grupo de protectores que nos ampara caso alguma coisa corra mal.

Num momento em que os portugueses precisam de inspiração, os que nos deviam liderar cruzam os braços e, totalmente desorientados e incapazes de contornar o actual quadro, pautam a sua política pelos cortes e eliminam os problemas convidando os seus cidadãos mais qualificados a partirem para outros destinos e a regressarem um dia ou então a portarem-se bem não criando desacatos. Já que o patriotismo e o mérito não são valorizados em Portugal, provavelmente resta-nos mesmo a solução indicada por Alexandre Miguel Mestre, a emigração: afinal, podemos perder tudo, até o amor da Pátria, mas jamais poderemos perder aquilo que ainda nos permite lutar e sobreviver: o amor próprio.

Sem comentários: