segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Um dia diferente para recordar perdas: a vida é curta!

Bem sei que vai contra o propósito deste espaço, mas não posso deixar de fazer referência ao 65.º aniversário que o meu ídolo de infância completaria hoje se ainda fosse vivo. O facto de já nos ter abandonado há 20 anos só atesta que partiu cedo demais.

Por falar em perdas precoces, quero deixar um abraço sentido para alguém que nos abandonou cedo demais na passada quarta-feira: Gonçalo Freire dos Santos, antigo colega da Faculdade de Direito de Lisboa, que nos deixou com apenas 27 anos e na sequência de um acidente de viação. Até sempre e que descanse em paz!

Sem comentários: