quarta-feira, 13 de julho de 2011

Equilíbrio de poder entre agências de notação financeira?

Numa altura em que a Europa continua a ser um alvo fácil para os interesses norte-americanos, muito se especula sobre a despromoção da dívida italiana pela agência de notação financeira chinesa, Dagong. Contudo, poderá ser a Dagong a solução de curto prazo para o Euro, senão vejamos: sendo a China uma das maiores interessadas em salvar a moeda europeia, para impedir um fortalecimento do Dólar, não será de considerar que as suas classificações de dívidas soberanas tenha como base a necessidade de Pequim em proteger as economias com que mais pode beneficiar? Como não somos ingénuos e temos a noção de que esta agência é plenamente controlada pelo Governo chinês, não será a despromoção da Itália um sinal claro de que investir na mesma é inviável neste momento e Roma começa a correr o sério risco de cair?
Apesar do já referido, a maioria das avaliações da Dagong serão, muito provavelmente, as mais credíveis no momento, podendo contribuir, sobremaneira, para a sobrevivência da moeda europeia. Porém, convém não esquecer os erros do passado e não passar para a China a quota de mercado assegurada até agora pelo cartel americano, correndo o risco de deixar a dívida e a avalição da mesma à mercê de Pequim.

Sem comentários: